Um menor de 14 anos de idade escapou de ser raptado no último domingo (24) na vila autárquica de Nhamaiabuè, distrito de Mutarara, província Tete, quando um grupo de três indivíduos já o tinha na sua posse, tendo sido libertado na ponte ferroviária Dona Ana, sobre o rio Zambeze.

O administrador de Mutarara, Lucas Muidingue, confirmou a ocorrência, explicando que o menor escapou graças à denúncia popular às autoridades policiais, que de imediato perseguiram os supostos raptores, os quais fugiram quando se aperceberam da presença dos agentes da Polícia da República de Moçambique (PRM), à paisana.

Segundo a fonte, quando os criminosos, provenientes de Nhamaphadza, no distrito de Marínguè, notaram a presença dos agentes da PRM na ponte Dona Ana, puseram-se em fuga, em direcção ao carro que lhes levaria para parte incerta.

“Os agentes da PRM resgataram o menor, que já está com os seus familiares. O petiz contou que eles, os malfeitores, tinham prometido emprego na cidade da Beira, para pagar três mil meticais de salário mensal”, afirmou o administrador de Mutarara, um distrito que regista, pela primeira vez, este ano, um rapto frustrado.

Acrescentou que os raptores tinham aproveitado o movimento desusado que se regista nos dias em que circulam comboios de passageiros da cidade da Beira, em Sofala, para a vila de Moatize, na província de Tete.

“Estamos a lançar apelos nos bairros e nas comunidades para que tenham cuidado com as pessoas que fazem falsas promessas, como esta de emprego e com valores altos de salário. Quando há muito movimento é bom que cuidemos dos nossos filhos”, advertiu o administrador.

Jornal Notícias