Início Sociedade Recenseamento eleitoral: Regista-se fraca afluência na Beira

Recenseamento eleitoral: Regista-se fraca afluência na Beira

A nossa Reportagem testemunhou em várias brigadas a chegada de uma e outra pessoa. A justificação que muitos encontraram para a reduzida afluência ao processo foi de que se tratava de um dia útil de trabalho. Outros apontaram que alguns cidadãos devem ainda estar a pensar que o processo está emperrado devido às avarias das máquinas.

Ainda no dia de ontem foi notória a preocupação dos supervisores tanto do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE), como da Comissão de Eleições ao nível da cidade da Beira, que foram de brigada em brigada a fim de verificar as actividades em curso.

Um dos membros destes organismos, que preferiu falar na condição de não ser identificado, disse à nossa Reportagem ser necessária uma supervisão contínua para que o processo não seja ferido por falhas.

Recenseamento eleitoral: Regista-se fraca afluência na Beira

“Mobilizaram-se técnicos em zonas para assistirem os brigadistas que encontrarem dificuldades durante as suas actividades. Estamos aqui para aferir o processo e estamos satisfeitos pela operacionalidade”- explicou a fonte, para depois lamentar a fraca participação.

Por outro lado, os políticos na cidade da Beira juntam-se aos agentes da educação cívica na mobilização da população para se recensear.

A Frelimo, por exemplo, através do seu secretário ao nível daquela urbe, Lino Massinguine, lançou um apelo a todos os cidadãos para se recensearem, o mesmo que foi feito pela delegada política do MDM, Flora Impula.

Jornal Noticias

Artigo anteriorLíder dos profissionais de Saúde grevistas intimado pela Polícia
Próximo artigoFIR semeia pânico entre população de Moatize