Seis funcionários do sector da saúde na província do Niassa, norte de Moçambique, foram detidos por suspeita de matarem um guarda para roubarem medicamentos num armazém, ao qual depois atearam fogo, anunciou esta segunda-feira a polícia.

O porta-voz do Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic) no Niassa, Moisés Matangue, citado pelo diário Notícias, avançou que, além dos seis funcionários, mais dois homens sem nenhuma ligação com o setor da saúde também estão detidos por alegado envolvimento no homicídio e roubo de medicamentos.

O homicídio e o roubo aconteceram no dia 21 de junho deste ano, acrescentou Moisés Matangue. Além de medicamentos, os indiciados furtaram também equipamento hospitalar no armazém provincial. O material roubado destinava-se à venda no mercado informal.

O porta-voz do Sernic no Niassa adiantou que depois do roubo os suspeitos deitaram fogo no interior do armazém, para apagarem provas.