Destaque Metade da água produzida em Maputo é perdida devido a roubos e...

Metade da água produzida em Maputo é perdida devido a roubos e vandalização

A província de Maputo perde metade da água potável canalizada devido a roubos e sabotagem da rede, a revelação e do ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Carlos Mesquita, citado pelo Diário Económico.

“Perdemos metade da água que produzimos e isso é muito. Estas perdas resultam de roubos, sabotagens e falta de facturação, ou seja, do consumo clandestino”, afirmou Mesquita, de acordo com a nota.

Aquele governante falava durante uma visita a infra-estruturas da província, na quinta-feira, e avançou que o roubo de água potável é a principal causa de perdas no fornecimento, apesar de o desvio de água ter baixado de 51% para 46% do desperdício de água da rede.

“É preciso apelar à população” para se abster de ter acesso à água de forma ilegal, frisou, numa luta contra um hábito enraizado em vários bairros. Em causa está “o desenvolvimento da própria empresa” estatal de fornecimento de água, alertou Mesquita.

Na ocasião, apontou a importância da construção da barragem de Moamba-Major para a redução do défice de água na região do Grande Maputo.

Carlos Mesquita também se referiu ao impacto da reabilitação e ampliação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Infulene, orçada em 851 milhões de meticais. Uma vez finalizadas as obras, o empreendimento vai permitir aumentar o número de beneficiários de 15 mil para cerca de 90 mil habitantes.

“A importância desta estação tem que ver com a necessidade de se criar condições para que a saúde pública seja um dos factores a ter em consideração”, declarou Carlos Mesquita.

Há cerca de dois anos, a capital do País enfrentou limitações no fornecimento de água devido à redução das reservas para menos de metade, na sequência da seca que assolou o Sul do País, situação mitigada com as chuvas dos últimos dois anos.

Artigo anteriorAtaques terroristas forçam Syrah Resources a suspender parcialmente suas actividades
Próximo artigoRuanda e RDCongo trocam acusações de ataques armados