Aline Guimarães, uma vendedora de 38 anos residente na cidade brasileira de Taubaté, no litoral do estado de São Paulo, nasceu literalmente de novo depois de ter sido brutalmente atacada à facada pelo ex-namorado. Sobreviveu à fúria do homem, inconformado com o fim do relacionamento, mesmo tendo tido o corpo perfurado por mais de 70 vezes com várias facadas.

José António de Paiva, o delegado (inspetor) da Polícia Civil (judiciária) de Taubaté, que comanda a investigação, declarou ter ficado impressionado com a frieza demonstrada pelo agressor, um lutador de artes marciais de 35 anos. Segundo Paiva, o homem confessou com detalhes e sem qualquer arrependimento ter tentado matar Aline por esta não aceitar reatar a relação após outras duas agressões, uma das quais provocou ao acusado uma pena que ele cumpriu em regime aberto.

De acordo com o que foi possível apurar, o agressor invadiu a casa da ex-namorada ao amanhecer, saltando uma janela e empunhando uma faca com a qual começou a golpear Aline. Como a faca a certa altura se partiu com a violência dos golpes desferidos, ele foi à cozinha buscar outras duas facas, com as quais continuou a atingir a mulher que tanto dizia amar.

Vizinhos chamaram a polícia ao ouvirem os gritos de Aline e impediram que o homem concretizasse o intento de a matar. A vendedora foi levada para um hospital de Taubaté e sobreviveu, estando na noite de quarta-feira, segundo pessoas próximas, internada em estado grave numa Unidade de Cuidados Intensivos, e, apesar da delicadeza da sua situação, já esboçava tentativas de querer falar.

CM