As negociações da fixação do salário mínimo serão retomadas, até finais do mês de Junho corrente, altura em que as partes voltarão a avaliar a evolução económica do país, anunciou ao Parlamento, o Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário.

Falando na sessão de respostas às perguntas ao Governo, do PM clarificou que “o fraco desempenho dos indicadores económicos e os baixos níveis de produção e da produtividade dos sectores que se registam no país em consequência da Covid-10, fizeram com que a Comissão Consultiva do Trabalho deliberasse, por unanimidade, suspender temporariamente as negociações sobre a actualização do salário mínimo”.

Indicou igualmente que a deliberação da Comissão Consultiva do Trabalho teve em vista, acima de tudo, assegurar o funcionamento das empresas e manter os postos de trabalho neste período em que o país e o mundo estão abraços com a pandemia da Covid-19.

“A fixação dos salários mínimos tem como base o crescimento económico, inflação, produtividade e competitividade, incluindo a robustez financeira das empresas nos diferentes sectores de actividade”, recordou, Carlos Agostinho do Rosário, em resposta à uma das cinco perguntas colocadas ao Executivo pela bancada parlamentar do MDM.