O Governo moçambicano vai disponibilizar espaços em seis aeroportos para operadores privados desenvolverem negócios, anunciou em concurso o Ministério dos Transportes e Comunicação (MTC).

“Pretende-se apresentar um plano-director de desenvolvimento de cada aeródromo na componente de não aviação, no conceito de mini-cidades aeroportuárias com infraestruturas de apoio ao turismo e à actividades nos aeroportos”, lê-se na nota do MTC, citada hoje pelo jornal Notícias.

As concessões vão abranger os aeroportos da Beira, Maputo, Quelimane, Lichinga, Chimoio e Nampula.

O plano inclui a construção de hotéis, espaços para eventos, parques de estacionamento, serviços de apoio a navegação aérea, estações de combustíveis, aluguer e lavagem de viaturas.

Além de rentabilizar os aeroportos, o objectivo é incentivar o desenvolvimento da indústria de turismo, acrescenta a nota de imprensa.

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, disse recentemente que o Governo está preocupado com o nível de endividamento das empresas aeroportuárias.

“O endividamento deve ser encarado com a necessária serenidade e responsabilidade, devendo a empresa prosseguir com os esforços em curso junto dos parceiros para a reprogramação e cumprimento integral dos compromissos assumidos”, disse Carlos Mesquita.

Lusa