O ministro dos Transportes e Telecomunicações, Carlos Mesquita, garantiu que até finais do próximo ano a Tmcel voltará a estar numa posição de competição com as outras duas operadoras de telefonia móvel existentes no país. Neste momento, está a ser investido mais de 130 milhões de dólares para a modernização tecnológica.

Começou por ser Moçambique Celular, ou simplesmente, Mcel, a primeira companhia de telefonia móvel criada em 1997. Depois de anos de monopólio, foi aberto o mercado e entraram mais duas novas empresas, uma delas, a principal concorrente, passou para a posição de liderança.

Com a crise que afecta as empresas públicas e ou participadas pelo Estado, no ano passado o governo decidiu fundir as empresas Telecomunicações de Moçambique e Mcel, tendo dado lugar à Tmcel que neste momento está a fazer de tudo para recuperar o trono. Para já, a palavra de ordem é investimento na tecnologia.

O empréstimo de 130 milhões de dólares por parte  da  Exin Bank da China é para a reestruturação tecnológica em todo o país, que inclui a instalação de um outro cabo de fibra óptica para melhorar as comunicações.

E no espírito de uma concorrência saudável, o Executivo aprovou a legislação que operacionaliza a partilha de infra-estruturas de telecomunicações como antenas e agora discute-se acordos de interligação entre as operadoras para a comunicabilidade dos serviços financeiros que cada uma desenvolve.

O País