O aeroporto de Nacala, no norte de Moçambique, começará a receber voos internacionais este ano na sequência da reorganização do sistema aeroportuário do país, segundo o presidente da empresa Aeroportos de Moçambique.

Emanuel Neves recordou ao matutino Notícias, de Maputo, que a reorganização do sistema aeroportuário do país teve como resultado a redução para apenas três do número de aeroportos moçambicanos que passam a receber voos internacionais.

O presidente da Aeroportos de Moçambique assinalou que Nacala tem estado subaproveitado, porque a sua construção não foi acompanhada da edificação de outras infra-estruturas necessárias à atracção de voos internacionais, nomeadamente hotéis.

“As infra-estruturas não foram desenvolvidas à volta do aeroporto e, em consequência, o aeroporto não teve estes elementos para utilizar nas suas actividades promocionais”, frisou.

Construído pelo grupo brasileiro Odebrecht com financiamento do estatal Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) do Brasil e um custo de 125 milhões de dólares, o Aeroporto Internacional de Nacala dispõe de capacidade para receber 500 mil passageiros por ano, mas esse número não supera actualmente mais de 20 mil.

Os voos internacionais nunca chegaram e os que lá chegam são dois voos domésticos regulares da companhia Linhas Aéreas de Moçambique na rota Maputo-Nacala e dois particulares da mineira Vale Moçambique, todos operados com aviões da construtora brasileira Embraer.

Macauhub