Início Destaque Gove e Maleane: CTA desenvolveu positivamente nos últimos anos

Gove e Maleane: CTA desenvolveu positivamente nos últimos anos

Adriano Maleane e o Governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, dizem que o sector empresarial cresceu positivamente e o relacionamento da classe com o executivo melhorou bastante.

Em Moçambique, nos primeiros anos da criação da CTA, no país, o relacionamento entre a classe empresarial e o governo não era positivo, ou seja, havia um sentimento de desconfiança entre as partes, como adversários, mas com o andar do tempo tudo clarificou-se e o ambiente tornou-se pacífico.

Tendo-se chegado a conclusão, por parte do governo, que na verdade o objectivo era de melhorar o ambiente de negócios em todo o país, quer do sector privado quer do público.

O governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, entende que, o principal desafio para os próximos tempos, é continuar a levantar tudo aquilo que não possa constituir barreiras no desenvolvimento da actividade do sector privado.

Igualmente, nós temos a consciência de que no mundo há muitos que concorrem para a angariação de recursos externos para o desenvolvimento dos seus respectivos países, no entanto, quanto melhor for o ambiente de negócios no país, certamente que o sector privado moçambicano e estrangeiro, vai olhar Moçambique como o destino dos seus investimentos.

Para o antigo presidente da CTA e governador do Banco de Moçambique, Adriano Maleane, as relações entre o sector privado e o governo nos últimos dez anos, melhorou bastante.

Fazendo uma avaliação, das relações de cooperação entre as partes, Maleane acredita foram muito boas, tudo porque, começou-se a se ter uma participação mais activa do empresariado nacional e ficou mais arrojado evoluindo para grandes coisas e no passado, diferentemente dos anos passados, quando éramos, onde a nossa preocupação sobrepunha-se para pequenos projectos e empresas, mas agora não, investe-se em grandes projectos e importantes.

Artigo anteriorErdogan diz que Turquia não pode ficar de fora de coligação internacional contra Estado Islâmico
Próximo artigoExpectativa por Enzo e Júlio César