No âmbito do saneamento do meio, famílias do bairro de Xipamanine, que dividem espaços comuns, juntaram esforços e com ajuda de alguns parceiros privados construíram sanitários públicos.

A iniciativa, que custou pouco mais de 540 mil meticais, surge, segundo os moradores, não só como forma de melhorar o saneamento mas também para dar privacidade às famílias.

“As casas de banho que tínhamos eram péssimas. Não havia privacidade nem conseguíamos fazer as necessidades à vontade. Também os banhos eram uma correria.”

Para David Simango, Presidente do Município que iniciou esta quarta-feira visitas a diversos empreendimentos dos distritos municipais, o grande desafio deste projecto é a gestão e manutenção dos sanitários.

Refira-se que no total são 11 os sanitários públicos construídos em diversos quarteirões do bairro do Xipamanine.