Entre Julho e Agosto deste ano, os preços de milho aumentaram nos mercados de Tete, Chimoio (Manica) e Nampula na ordem de 40%, em média. Para os próximos meses, pelo menos até Fevereiro de 2020, o aumento será acelerado.

“Este aumento de preços nos mercados excedentários típicos nas regiões centro e norte reflecte uma disponibilidade abaixo da média de milho devido à oferta abaixo da média”, explica a Rede Mundial de Sistemas de Aviso-prévio (Fews Net, sigla em inglês).

Relativamente ao nível de assistência humanitária, nota-se uma situação de stress alimentar em partes das províncias de Sofala e Manica.

A crise também persiste nas zonas semiáridas do sul, onde as famílias enfrentaram o segundo ano consecutivo de fraco desempenho agrícola devido à seca, bem como parte de Cabo Delgado, onde o conflito continua, e o ciclone tropical Kenneth que afectou negativamente a época agrícola 2019.

Em relação às restantes regiões do país, a Fews Net, no seu mais recente relatório, indica que assiste-se uma crise alimentar mínima.

De acordo com as previsões internacionais e nacionais, o início da estação chuvosa 2019/20, provavelmente estará abaixo da média, com potencial para um início tardio e irregular nas regiões centro e sul.

A precipitação acumulada para a época 2019/20 é mais provável que seja média para acima da média no norte de Moçambique. No entanto, as áreas do sul provavelmente terão chuvas abaixo da média.

“Entre Dezembro de 2019 e Março de 2020, há maior probabilidade de ocorrência de número quase médio de ciclones”, alerta a Rede Mundial de Sistemas de Aviso-prévio.

O País