A Renamo e o MDM dizem que o informe de Beatriz Buchili é fraco e não apresenta soluções. Dizem mesmo que a Procuradora-Geral apresentou um manancial de palestras.

A Procuradora-Geral da República enumerou uma série de acções, não enumerou soluções, que é o que nós queremos. Há casos que ainda estão em processo desde o ano passado”, reclamou Leopoldo Ernesto, deputado da bancada parlamentar da Renamo.

O MDM considerou o informe bastante pobre, por dedicar mais de vinte páginas a questões institucionais e administrativa. O partido do galo diz que a apresentação da Procuradora leva a uma reflexão sobre o tipo de informações a ser prestadas na magna casa. E mais, esta bancada parlamentar diz que a Procuradora desviou-se do essencial.

Senhora Procuradora, este informe é exactamente a cópia fiel das ocorrências registadas em esquadras de polícia. Até hoje, o país aguarda os resultados das investigações sobre o assassinato do professor Gilles Cistac, o juiz Silica e o seu colega Marcelino Vilanculos, executado pelo sindicato do crime, que sequestrou a administração da justiça”, contestou José de Sousa.

Já a bancada parlamentar da Frelimo, considera que o informe da Procuradora espelha a situação da justiça . “Nós pensamos que é um relatório muito profundo porque traz uma abordagem geral sobre a justiça no país”, finalizou Galiza Matos.

O País

COMENTE PELO FACEBOOK