O Presidente da República, Armando Guebuza, indicou, na tarde de ontem, Adelino Muchanga para o cargo de juiz-presidente do Tribunal Supremo, em substituição de Ozias Pondja, que há muito está a braços com problemas de saúde. Pondja chegou mesmo a estar em coma, mas já está recuperado.

Até à data da sua nomeação, Adelino Muchanga vinha exercendo as funções de juiz-vice-presidente do mesmo Tribunal. O nome de Adelino Muchanga está envolvido no escândalo promovido pela ministra da Justiça, que indicou Ângelo Matusse como candidato ao cargo de juiz do Tribunal Africano dos Direitos Humanos. Nas avaliações em que o regime claramente prejudicou o constitucionalista Giles Cistac, indicando Matusse, aparece o nome de Adelino Muchanga como membro do júri e com notas por ele atribuídas, quando a verdade é que Muchanga nunca fez parte do júri. O Ministério da Justiça inventou a sua participação e as respectivas notas.