Filipe Nyusi que visitou a província de Cabo Delgado, nas localidades e postos administrativos dos distritos de Nangade, Macomia, Montepuez e Ancuabe, orientou, igualmente, duas sessões extraordinárias do Governo Provincial, a primeira logo à sua chegada e a segunda no fim da visita.

Na primeira sessão extraordinária, a governadora apresentou relatórios de desempenho do seu executivo referentes ao ano passado e ao primeiro trimestre do presente ano. O Chefe de Estado pediu a cada um dos administradores dos distritos que participaram na reunião para que falasse sobre os planos dos respectivos distritos. Foi aí que descobriu que quase todos não tinham clareza do que fizeram e sobre o que pretendem fazer este ano, principalmente no que concerne às metas de produção agrícola, e questionou: “estão a governar? As coisas estão a acontecer sozinhas. No fim, vão a um comício e repetem palavras de ordem”. Por fim, o Presidente da República pediu que o relatório do governo provincial fosse melhorado.

Já na conferência de imprensa que concedeu aos jornalistas que cobriram a sua visita a Cabo Delgado, Filipe Nyusi disse que não ficou satisfeito com o desempenho dos administradores. “Não fiquei nem um pouco satisfeito com a falta de domínio, no âmbito da planificação, portanto, a concepção dos planos, a implementação, a monitoria. Se não se tem domínio daquilo que se deve produzir nem há sensibilidade dos números e indicadores, não se sabe se estão a correr rápido ou devagar e se chegam a tempo ou não”, referiu.

Dada a situação, Filipe Nyusi disse que há necessidade urgente de submeter os administradores à capacitação, de modo a melhorarem o seu desempenho. “Significa que vamos dar a ferramenta para eles fazerem melhor. Isso que fizemos permitiu-nos perceber que, se melhorarmos conhecimentos, podemos atingir resultados positivos e melhores”, disse.

Entretanto, de uma forma geral, Filipe Nyusi diz ter gostado de visitar a província de Cabo Delgado, porque ficou convencido de que, apesar das dificuldades, as coisas estão a acontecer, a produção agrícola aumentou, embora não tenha chovido de forma regular, e que a população está a acatar a sua recomendação de aumentar a produção. “A felicidade, minha, é o facto de ter estado cá e constatado que precisamos de dar este tipo de apoio. Esta é a razão da nossa vinda aqui, para não estarmos no gabinete. Temos de dar o apoio necessário aos que precisam para poderem trabalhar”, afirmou o Presidente da República, acrescentando que “a avaliação geral que fazemos é que as coisas estão a acontecer em Cabo Delgado”.

O Chefe de Estado aponta como exemplo as áreas de infra-estruturas, emprego, agricultura, pecuária e pesca como as que vêm registando avanços, embora esta última não tenha muita tradição nesta província, como acontece com as regiões sul e centro do país. “Por isso mesmo, encorajamos a população e saudamos a província para que isso possa continuar”, anotou.

Em Cabo Delgado, Nyusi manteve encontros com as autoridades e populações locais, onde se inteirou do nível de execução do Plano Económico e Social (PES).

O País