Michel Temer, presidente do Brasil, foi filmado a autorizar um suborno.

A notícia está a ser avançada pela Globo, que explica que o alvo do suborno seria Eduardo Cunha, o antigo líder da Câmara dos Deputados, que se encontra detido na sequência da Operação Lava Jato, um caso que tem agitado o panorama político no Brasil.

A mesma Globo explica ainda que a denúncia terá sido feita por Joesley Batista, empresário responsável pela JBS, uma gigante no sector das carnes.

O empresário Joesley Batista e o irmão, Wesley, donos da JBS, terão já prestado depoimento às autoridades brasileiras na quarta-feira, dia 10 de maio, no âmbito de uma ‘delação premiada’, um elemento jurídico existente no Brasil que permite a redução de penas para quem avançar com denúncias.

Ainda segundo a Globo, Joesley Batista terá relatado que, durante a conversa que manteve com Temer, afirmou que iria continuar a fazer pagamentos a Eduardo Cunha e a Lúcio Funaro, figura próxima de Cunha, para que mantivessem silêncio, ao que Temer respondeu, sem saber que estava a ser gravado: “Tem que manter isso, viu?”.

No depoimento feito, o empresário da JBS relatou ainda que não foi Michel Temer quem determinou o pagamento em troca do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha mas que, no entanto, o presidente brasileiro tinha pleno conhecimento da operação.

Entretanto, o Palácio do Planalto, casa oficial da presidência do Brasil, já reagiu. Numa nota divulgada, o Palácio do Planalto confirma um encontro ocorrido em Março entre Temer e Joesley, mas nega as suspeitas de suborno. “O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha“, afirma-se.

Recorde-se que Temer assumiu a presidência do Brasil após a destituição de Dilma Rousseff.

Notícias ao Minuto

Advertisements

COMENTE PELO FACEBOOK