A derrota do Brasil contra a Alemanha, por 7-1, gerou confrontos, distúrbios e até uma série de roubos.

No Rio de Janeiro, a polícia foi accionada para conter confrontos e tentativas de assalto na Fan Fest de Copacabana, onde decorreu o arrastão que pode ver-se no vídeo da AP. Diversos focos de confrontos entre adeptos ocorreram durante toda a partida, segundo a Guarda Civil, citada pelo portal de notícias G1. 

As autoridades negam o arrastão, mas testemunhas no local garantem que viram vários roubos em série na praia. Segundo os relatos da imprensa brasileira, a Polícia Militar usou a cavalaria e bombas de gás para conter confrontos entre adeptos na festa oficial da FIFA, no Recife, ainda na primeira parte do jogo, tempo da partida, tendo havido pessoas espezinhadas, mas sem registo de feridos graves.

No Mineirão, em Belo Horizonte, um adepto foi detido por danos ao património, após pontapear um contentor de lixo, revoltado por ter pago 1.000 reais (332 euros) por um bilhete para o jogo. Ainda no estádio, os relatos dão conta de confrontos entre adeptos alemães e brasileiros que acabaram com três detidos.

O público no estádio insultou a presidente Dilma Rousseff, como havia feito na abertura do Mundial 2014.

Na região da Savassi, ponto de encontro da claque brasileira em Belo Horizonte, adeptos canarinhos queimaram uma bandeira do Brasil e dois deles acabaram detidos, após atirarem latas de cerveja contra polícias militares, informou o site de notícias R7. 

Em São Paulo também há vários relatos de manifestações, agressões e autocarros incendiados