Com esta iniciativa, o executivo moçambicano pretende encurtar a distância entre os usuários e os servidores públicos, a partir da disponibilização de serviços públicos aos cidadãos com o recurso às tecnologias de informação e comunicação.
Esta informação foi avançada na última sexta-feira, em Maputo, no decurso do workshop sobre a solução de base para a implementação do Governo electrónico em Moçambique.
A emissão dos bilhetes de identidade, passaportes e cartas de condução biométricos é iniciativa que o Instituto Nacional de Tecnologias de Informação e de Comunicação está a desenvolver no âmbito da implementação do chamado Governo Electrónico.
O objectivo, segundo o ministro da Ciência e Tecnologia, Louis Pelembe, é disponibilizar serviços públicos com facilidade e rapidez para todos os cidadãos, independentemente, da sua localização.
“Através dos serviços baseados na Rede Electrónica do Governo, pretendemos alcançar um novo patamar que nos tornará mais eficientes na disponibilização de serviços com base nas tecnologias de informação e comunicação, desde a capital do país até ao distrito mais recôndito”, explicou.