Um professor recém-contratado por um colégio católico de Londres foi suspenso de funções ao fim de poucos dias quando a direção descobriu que tinha grandes dificuldades em ler e escrever.

O mais surpreendente é que o docente foi colocado no colégio após frequentar um curso de formação com a duração de dois anos.

O professor ainda processou o colégio por discriminação, alegando sofrer de um transtorno neurológico, mas perdeu a acção.

CM