O ex-presidente da federação ganesa de futebol Kwesi Nyantakyi foi acusado de corrupção e irradiado de qualquer tipo de actividade ligada à modalidade, tendo ainda de pagar 440 mil euros de multa, anunciou esta quarta-feira a FIFA.

Kwesi Nyantakyi demitiu-se do cargo no início do mês de Junho, depois de ter sido revelado um documentário que acabou por provar negociações mantidas com potenciais “investidores”, que, em troca de contratos lucrativos com o governo ganês, ofereciam “presentes” no valor de milhões de dólares.

A comissão responsável pelo julgamento do caso acusou o antigo dirigente, que esteve no cargo entre 2005 e 2018, de múltiplas violações do Código de ética da FIFA relativas ao conflito de interesses e corrupção activa. Entretanto, a FIFA e o governo ganês chegaram a acordo para a criação de um comité para a normalização do funcionamento da federação (GFA).

Observador