A Polícia da República de Moçambique (PRM) assegura estar a investigar as circunstâncias em que o menor Henrique Joaquim Mangazi foi baleado mortalmente, na semana passada, no bairro de Sidwava na Matola.

A PRM diz que trabalhos estão em curso para apurar as causas do baleamento mortal, supostamente protagonizado por militares em treino e para apurar a proveniência da bala perdida.

O caso que terá levantado alguns ânimos entre os residentes daquele bairro está neste momento nas mãos do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC).

Ainda esta semana, no distrito de Mocímboa da Praia, em Cabo Delgado, um grupo composto por mulheres e crianças apresentou-se à esquadra local depois de ter sido mantido em cativeiro por homens que supostamente pertencem ao grupo radical que tem estado a protagonizar alguma instabilidade naquela região do país, referiu a polícia no seu informe habitual.

Entretanto, a Polícia garantiu que o caso está a ser investigado e que as Forças de Defesa e Segurança estão no local para manter a ordem e segurança.

O País