A polícia deteve três jovens, indiciados de venda ilegal de fármacos do Sistema Nacional de Saúde, na região de Inchope, na província de Manica, na semana finda.

Elcídia Filipe, porta-voz do comando provincial da PRM em Manica, disse a farmácia funcionava numa residência e no exercício da operação, a PRM recuperou elevadas quantidades de fármacos, na sua maioria fora do prazo.

O medicamento, segundo Filipe, era vendido na casa de um cidadão e proprietário de uma farmácia, mas os medicamentos comercializados estavam quase todos fora do prazo.

A porta-voz contou que a farmácia foi denunciada depois que uma mulher se dirigiu a referida farmácia para adquirir medicamentos para tratamento de malária, mas ao invés de receber anti maláricos recebeu anti-retrovirais.

Uma senhora foi comprar medicamento para o seu bebé que estava com malária e foi dada anti-retrovirais. Ela achou estranho e foi ao hospital mostrar o medicamento. Os enfermeiros estranharam o tipo de fármaco e comunicaram a polícia que se deslocou ao local onde encontrou muitos medicamentos”, explicou.
A polícia está a diligenciar no sentido de apurar a proveniência dos medicamentos.

RM