Agricultores e pescadores moçambicanos vão passar a usar, em breve, uma aplicação informática que fornece as previsões meteorológicas, através de telefone celular, via SMS.

Essa aplicação foi introduzida recentemente, no projecto Maputo Living Lab (MLL), que é um laboratório para o desenvolvimento de aplicações informáticas úteis à sociedade.

Falando esta sexta-feira, em Maputo, o Ministro moçambicano da Ciência e Tecnologia, Louis Pelembe, disse que 11 estudantes universitários estão a colaborar com a sua Instituição no desenvolvimento dessas aplicações.

Pelembe, que falava na cerimónia de encerramento do 3º evento das Escolas de Verão, do projecto MML, afirmou que da primeira à esta edição, já forma treinados cerca de 50 estudantes dos quais cinco beneficiaram-se de bolsas de estudo para fazer mestrado na Itália.

“Temos cinco estudantes que foram fazer um curso de seis meses na Universidade de Trento e estágio profissional em empresas de desenvolvimento de software na Itália ”, vincou o Ministro.

A primeira edição das Escolas de Verão, que durou quatro semanas, tendo iniciado em finais de Outubro de 2012, contou com 26 estudantes de diferentes universidades do país e teve o objectivo de implementar um sistema de alerta das famílias sobre as datas de vacinação de crianças. A escolha deste projecto, de acordo com o site do MLL, deveu-se a alta taxa de mortalidade infantil que o país regista.

A segunda edição, segundo o site, durou 25 dias.

“O conhecimento adquirido durante este período vai contribuir para fazer crescer a indústria de desenvolvimento de software no país e quiçá fazer com que um dia este se torne um dos maiores produtores de software”, disse o ministro.

Por seu turno, o embaixador da Itália em Moçambique, Roberto Vellano, afirmou que, com base nas indicações fornecidas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INAM), os estudantes moçambicanos empenharam-se num projecto-piloto intitulado “Comunicação das Previsões Meteorológicas”, através de SMS.

Roberto Vellano disse ainda que estes projectos-pilotos serão avaliados pelo INAM (Instituto Nacional de Meteorologia )e pelo Instituto Nacional de Gestão das Calamidades (INGC), para seu uso em determinadas situações.

“Os telefones celulares, computadores e Internet são ferramentas técnicas poderosas. É sempre o indivíduo que deve ser capaz de usa-las para promover a mudança e o crescimento económico-social”, disse Vellano.

Cláudia Jovo, participante no MLL, disse que aprendeu bastante no curso, e que mesmo sendo uma das duas mulheres que se beneficiaram das ferramentas de aplicação, sente-se pronta para desafios que o mercado lhe espera.

“Aconselho a outras mulheres para terem a coragem de enfrentar as Tecnologias de Informação e Comunicação”, disse.

Misério Clemente, estudante do curso, disse sentir-se lisonjeado por pertencer ao grupo de estudantes que estão desenvolvendo a aplicação que vai consubstanciar o crescimento do país.

“Esta ferramenta vai actualizar o tipo de cultura que o agricultor deve lançar ao solo, através de uma simples SMS”, vincou aquele participante do curso.

Na 3ª edição, terminada sexta-feira, o Maputo Living Lab formou cerca de 20 estudantes finalistas universitários vindos das universidades do país.