Destaque Arcebispo de Nampula alerta para crise humanitária

Arcebispo de Nampula alerta para crise humanitária

Em Moçambique, o arcebispo de Nampula alertou para os riscos de uma crise humanitária com novas vagas de deslocados, devido a ataques rebeldes no extremo norte da província que faz fronteira com Cabo Delgado. Dom Inácio Saure, que é também presidente da conferência episcopal de Moçambique, sublinha que são necessárias políticas e estratégias para o acompanhamento da juventude.

Em entrevista à agência Lusa, o arcebispo de Nampula e presidente da conferência episcopal de Moçambique alertou para os riscos de uma crise humanitária com novas vagas de deslocados: “É um agravamento da crise que já se vivia por causa da guerra em Cabo Delgado. Agora também temos deslocados da própria província de Nampula”.

As incursões rebeldes em Nampula tiveram como principais alvos os distritos de Eráti e Memba, ambos nas margens do rio Lúrio, fronteira natural entre Nampula e Cabo Delgado.

A nova vaga de ataques destruiu infraestruturas e deixou um número desconhecido de óbitos, incluindo uma freira italiana assassinada, no extremo norte da diocese de Nacala.

De acordo com dados preliminares avançados à Lusa pelo Governo de Nampula, só no distrito de Eráti, as novas incursões provocaram a movimentação de cerca de 10 mil pessoas.

Entretanto, Mety Gondola, secretário de Estado de Nampula acredita que as Forças de Defesa e Segurança de Moçambique estão prontas para evitar que os ataques armados no extremo norte daquela província evoluam para a escala do conflito em Cabo Delgado: “Estamos em condições de fazer esta luta por cada pedaço territorial da nossa província”.

Mety Gondola sublinha que as tropas se desdobram em “acções intensivas” no terreno, na ambição de evitar que o conflito cresça: “Há muito tempo que os terroristas procuram formas de desestabilizar a província de Nampula e só não conseguem porque as nossas Forças de Defesa e Segurança têm estado a trabalhar intensivamente”.