Internacional Assassinos de albinos condenados a 155 anos de prisão no Malawi

Assassinos de albinos condenados a 155 anos de prisão no Malawi

Receba vagas no seu WhatsApp

Siga o nosso canal do WhatsApp para receber vagas no status do WhatsApp.

Clique aqui para seguir

O Tribunal Superior do Malawi, em Mangochi, condenou 3 pessoas a 155 anos de prisão por matar uma pessoa com albinismo. Segundo a Rádio Islam do Malawi, os três condenados são James Pilo Khang’a (71), Sumaili Umaili Nkisi (45) e Gayesi Kapute (44) da aldeia Kadewere, em Mangochi.

O julgamento veio depois que o juiz Ntole Mvula considerou o trio culpado de matar Saidi Dayton da vila de Kadewere T/A Chowe no distrito de Mangochi.

Em sua decisão, o Tribunal condenou os três a 68 anos e meio de prisão por homicídio, 48 anos e meio por extracção de tecido humano e 38 anos e meio por tráfico de pessoas, mas as sentenças serão executadas simultaneamente, o que totaliza 155 anos de prisão.

O tribunal ouviu que Khang’a, Nikisi, Kapute e Luciuc Daudi Ngalu, este ainda foragido desde Janeiro do ano passado, causaram a morte de Dyton e extraíram tecido de seu cadáver.

Durante as investigações policiais, Kapute revelou que enterrou partes do corpo de Dyton em seu jardim depois de embrulhar o corpo em um saco amarelo.

O jovem presidente da Associação de Pessoas com Albinismo, Muhamba, reagindo disse que o julgamento é aceitável, pois é o mesmo que prisão perpétua.

Ganhe 1000MT hoje no Aviator. Comece com 10MT.