O Presidente da República diz que as desinformações e manipulações colocam em causa as Forças de Defesa e Segurança (FDS) e defende que não devem deixar os autores sem responsabilização.

Filipe Nyusi dirigiu na quarta-feira (25), na qualidade de Presidente da República e Comandante-chefe das FDS, o XXI Conselho Coordenador do Ministério da Defesa Nacional, que durante três dias, vai definir novas estratégias para melhor responder aos desafios da actualidade.

No seu discurso de ocasião, Nyusi foi incisivo sobre o que chamou de onda de desinformação e manipulação sobre a situação em Cabo Delgado que, a par da insegurança nas províncias de Manica e Sofala, são os principais desafios para o exército nacional.

De acordo com Nyusi, a onda de manipulação e inverdades sobre o que se passa no teatro operacional norte é um dos factores que coloca em causa a unidade nacional.

“Entre as ameaças à nossa unicidade e moçambicanidade constatamos a tendência crescente da desinformação e a tentativa de manipulação da opinião pública, decorrendo a mediatização, inversão de factos e a sua difusão, fazendo uso das plataformas das redes sociais através das redes sociais” disse Nyusi.

No seu discurso, Nyusi visou directamente alguns órgão de informação, chegando a considerar estarem a servir interesses dos terroristas.

“Preocupa-nos, também, que nesta saga de distorção da realidade na divulgação de irrealidades, estarem a ser utilizados alguns órgãos de informação, que ao invés de pautarem pelo profissionalismo, acabam, deliberadamente ou inocentemente, agindo em vantagem dos inimigos ou dos terroristas” disse, sem no entanto, revelar os órgãos em causa.

Perante esta situação, Nyusi quer que o exército esteja vigilante e pronta para agir, por forma a “não ser denigrida, deliberadamente”.

“Queremos exortá-los a tudo fazerem para apurar a veracidade dos factos. Estarem atentos a qualquer tendência de difundirem quaisquer imagens ou notícias. A vigilância deve partir de vocês mesmo. Não podem ser denigridos, deliberadamente, e passivamente estarem a assistir sem responsabilizar esse tipo de compatriotas” exortou.

O 21º Conselho do Ministério da Defesa conta com a presença de antigos Ministros e dirigentes do sector da defesa. Tem duração de três dias e decorre sob o lema “Sector da Defesa: Engajado na Defesa da Soberania e na Consolidação da Paz, Face às Novas Ameaças.