Rosario Porto foi condenada, juntamente com o marido, a 18 anos de prisão, pela morte da sua filha no município de Teo, junto a Santiago de Compostela. Contudo, a mulher negou desde sempre a sua participação na morte da filha adotiva.

Asunta Basterra foi encontrada no dia 22 de setembro de 2013, abandonada numa vala, com indícios de ter sido drogada e sufocada. Os pais foram, desde o início, os únicos suspeitos do crime, mas desde sempre alegaram inocência, uma vez que a criança, que era adotada, era tudo o que mais desejaram durante toda a sua vida e por isso diziam ser incapazes de a matar.

A mulher foi encontrada enforcada, por um funcionário da prisão, que deu o alerta para o 112. Rosario terá sido ainda sujeita a manobras de reanimação, mas já nada havia a fazer. Segundo o ABC.es, esta não seria a primeira vez que tentava pôr termo à vida.

Rosario Porto, advogada de profissão, já tinha servido sete anos da sua pena em três prisões diferentes.

Se estiver a sofrer com alguma doença mental, tiver pensamentos auto-destrutivos ou simplesmente necessitar de falar com alguém, deverá consultar um psiquiatra, psicólogo ou clínico geral. Poderá ainda contactar uma destas entidades: