Terroristas jihadistas atacaram a cidade de Maiduguri, no nordeste da Nigéria, enquanto os habitantes locais preparavam as comemorações do festival muçulmano Eid al-Aldha.

Segundo os serviços de emergência, três foguetes foram disparados nos arredores da cidade, deixando quatro mortos e três feridos. Até agora, o ataque não foi reivindicado.

“Certamente é o trabalho manual dos ‘terroristas’ que estão empenhados em interromper as festividades do Eid amanhã”, disse Ibrahim Liman, um oficial de uma das milícias civis que apóia os militares na luta contra os jihadistas.

A capital do estado de Borno, Maiduguri, não é estranha aos ataques dos jihadistas.

Não mais de 24 horas antes deste último ataque, o comboio do governador do estado de Borno, Babagana Zulum, foi atingido por tiros de metralhadora. O governador não foi atingido, mas o tiroteio deixou 15 feridos.

A região nordeste é o lar do Boko Haram, onde o grupo foi criado em 2009. Desde então, a organização se espalhou pelos Camarões e Chade. Em 2016, os combatentes da facção da Província da África Ocidental do Estado Islâmico (ISWAP) se separaram do principal grupo do Boko Haram e desde então se tornaram uma força dominante. na região.

Na última década, a violência instigada pelo grupo causou a morte de mais de 36.000 pessoas e deslocou mais de 2 milhões.