Centenas de milhares de pessoas inundaram ontem as ruas de Harare em clima de festa antecipada pela queda da ditadura de Robert Mugabe.

O presidente, há 37 anos no poder, foi confinado a prisão domiciliária por um golpe militar, na quarta-feira, mas insiste em manter-se no poder até às eleições de 2018.

Entre vivas, sorrisos e gritos de triunfo, muitos manifestantes ostentavam cartazes com uma mensagem clara para Mugabe: “Deixa o Zimbabwe já!”.

A manifestação, proibida pelos militares até ontem, foi promovida por associações cívicas, sindicatos e pela muito influente associação dos veteranos de guerra. A marcha foi pacífica, só havendo tensão quando os militares impediram os manifestantes de marchar sobre o palácio presidencial.

Em protesto, centenas de pessoas sentaram-se no chão a cerca de 200 metros da residência oficial do presidente.

Recorde-se que o general Constantino Chiwenga manteve encontros com Mugabe na quinta-feira, para encontrar uma solução negociada. Enviados sul-africanos e o bispo Fidelis Mukonori mediaram as reuniões.

Contudo, o presidente reiterou que é o presidente legítimo e insiste em permanecer no poder até às eleições de 2018. A ZANU-PF, partido de Mugabe, ameaça destituir o presidente à força.

CM

Advertisements

COMENTE PELO FACEBOOK