Três enfermeiras de saúde materno-infantil afectas à maternidade do Hospital Provincial de Chimoio, estão a ser ouvidas pela procuradoria provincial de Manica indiciadas de cobranças ilícitas à parturientes.

Sem avançar nomes das enfermeiras que estão a responder pelo seu envolvimento em cobranças ilícitas, Firmino Jaqueta, director provincial de Saúde de Manica, apela às parturientes a denunciarem tais situações de forma a se tomarem medidas que possam travar o fenómeno.

Outro fenómeno que preocupa o sector da saúde, segundo Jaqueta é o desvio de medicamentos que têm sido vendidos nos mercados, tendo sido detectados sete funcionários que também estão a contas com as autoridades.

Estes dados foram revelados no quadro da reunião provincial de envolvimento comunitário, que decorre desde quinta-feira, a qual junta, para além de profissionais de saúde, dirigentes a vários níveis e líderes comunitários.

O País