carregando...

A Polícia brasileira está a investigar a morte de dois jovens que se terão suicidado na sequência de um desafio mortal que está a circular na Internet chamado “Baleia azul”.

A primeira morte suspeita foi a de um jovem de 19 anos, encontrado morto no passado dia 12 de abril em Pará de Minas, no Brasil.

Segundo o investigador responsável pelo caso, Carlos Bueno, a mãe do jovem tinha conhecimento de que o filho estava envolvido nesse desafio e pediu-lhe para abandonar o jogo, o que terá tentado fazer. Disse ainda que cerca de 30 dias antes da morte, o filho mudou radicalmente de comportamento, isolando-se e passando ainda mais tempo ao telemóvel.

Acabou por ser encontrado morto pela sua namorada, de 16 anos, depois de ter ingerido uma elevada quantidade de comprimidos. Deixou uma carta à família, cujo conteúdo não é conhecido.

A Polícia confirmou para já que o jovem, que tinha sido pai há pouco mais de um mês, participava de um grupo de conversa no “Whatsapp” com mais 100 pessoas e que todos estão a ser investigados.

Mais recentemente, no passado fim de semana, em Belo Horizonte, um adolescente de 16 anos foi encontrado enforcado e de mãos atadas na sua casa e a Polícia suspeita de que esta morte poderá também estar relacionada com o “Baleia azul”. O corpo foi encontrado pela mãe e pelo padrasto, na madrugada de domingo, quando chegaram a casa.

Entretanto, esta terça-feira, fonte da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática do Rio de Janeiro confirmou que duas raparigas de 14 e 15 anos tentaram o suicídio depois de serem coagidas a participar no desafio, e que outros jovens estão a ser intimados a depor no âmbito de uma grande investigação. Todos os jovens coagidos estão a ser encaminhados para um gabinete de apoio psicológico.

Outras sete tentativas de suicídio estão ainda a ser investigadas no Paraná.

O “Baleia azul” terá surgido pela primeira vez na Rússia, país onde 130 jovens se suicidaram, aparentemente, devido ao jogo que é disputado nas redes sociais. Normalmente, os participantes são muito jovens e são desafiados por uma espécie de mentor a cumprir 50 desafios violentos, culminando com a morte por suicídio.

No Brasil, foi aberta uma investigação aos referidos “mentores” que poderão vir a ser acusados de associação criminosa, ameaça, lesão corporal (devido às automutilações praticadas pelos participantes, homicídio na forma tentada e na forma consumada.

Também em Inglaterra, na Roménia e em França o fenómeno está a causar preocupação, tendo sido accionadas campanhas de informação e prevenção junto das escolas.

JN

COMENTE PELO FACEBOOK