O presidente do Partido Independente de Moçambique (PIMO) e líder do bloco de oposição construtiva, Yaqub Sibindy prevê a realização de eleições gerais este ano no país num clima de guerra dado ao impasse nas negociações entre o governo e Renamo no Centro de Conferencias Joaquim Chissano.

Yaqub Sibindy que já formalizou a sua candidatura à presidência da Republica, falando em exclusivo a nossa reportagem lamentou a troca de tiros que se verifica no centro do pais entre as forças governamentais e os homens armados da Renamo, o que na sua óptica cria duvidas por parte dos eleitores sobre a realização ou não de eleições este ano.

“Quando os cidadãos nos perguntam se haverá ou não eleições, nós também ficamos na dúvida. Mas usamos uma linguagem de esperança para responder. Respondemos também pela dúvida”, referiu Sibindy para quem o clima de guerra não cria uma determinação de realização de eleições no dia 15 de Outubro próximo.

A teleconferência convocada por Afonso Dhlakama na quinta-feira última para reagir em torno da detenção do porta-voz do seu partido, António Muchanga onde o líder da Renamo deixou claro que iria participar no processo eleitoral, demonstra para Yaqub Sibindy uma vontade por parte de Dhlakama de participar nas eleições.