O comandante-geral da Polícia da República de Moçambique diz que a corporação não vai recuar no combate à criminalidade. Jorge Khálau assegurou que a polícia está a combater agentes infiltrados na corporação, que fazem de tudo em benefício de interesses individuais. Para o comandante-geral da Polícia, a luta pela criminalidade começa por neutralizar elementos corruptos dentro da corporação.

`Temos alguns elementos infiltrados que estão a fazer confusão. Estamos a fazer uma luta contra os criminosos dentro dos elementos que se infiltram na polícia. Não podemos negar que isso existe, mas estamos a fazer um trabalho no sentido de neutralizar polícias que andam a estorquir cidadãos´.

Khálau reconhece existência de infiltrados

Jorge Khálau falava durante uma conferência de imprensa, em Maputo, por ocasião do 38º aniversário da Polícia da República de Moçambique (PRM), que se assinala próximo dia 17. Na ocasião, Khálau reconheceu a exiguidade de meios no seio da corporação, mas reiterou que a luta contra o crime continua.

`Esta polícia, apesar da falta de meios, continua a combater os crimes e a neutralizar quadrilhas que enveredam pelo crime violento. A PRM não vai recuar ao longo das dificuldades da sua acção”, disse Khálau, para depois acrescentar que o Governo está a fazer de tudo o que estiver ao seu alcance para melhorar a actual situação da polícia no combate ao crime e um dos pontos tem que ver com a formação e capacitação de quadros para os diversos sectores da Polícia. “Hoje, a polícia está a garantir e a proteger a população. A polícia age de acordo com princípios da lei. O Governo faz esforço no equipamento. A polícia formou quadros e estão trabalhar em diversos sectores´, disse Jorge Khálau.

O País