Destaque Presidente sérvio abandona liderança do partido mas mantém-se no poder

Presidente sérvio abandona liderança do partido mas mantém-se no poder

O presidente sérvio, Aleksandar Vucic, renunciou hoje à liderança do seu partido populista com planos de formar um movimento político mais amplo, enquanto enfrenta uma vaga de protestos, mas vai permanecer no poder.

Por sua própria proposta, Vucic foi substituído como líder do Partido Progressista Sérvio de direita por Milos Vucevic, que atualmente é ministro da Defesa.

“Obrigado por estes 11 anos”, disse Vucic numa festa na cidade de Kragujevac, no centro da Sérvia. “Tenho orgulho de ter liderado o melhor partido da Sérvia em todos estes anos.”

Vucic anunciou a mudança pela primeira vez num comício na sexta-feira em Belgrado perante dezenas de milhares de apoiantes, quando enfrenta críticas por permanecer como líder do partido enquanto ocupa a presidência do país.

Milhares de pessoas são esperadas hoje numa marcha liderada pela oposição exigindo a renúncia de altos funcionários e a revogação de licenças para órgãos de comunicação pró-governo que transmitem conteúdo violentos e exibem alegadas figuras ligadas ao crime e criminosos de guerra.

Espera-se que os protestos em Belgrado e noutras cidades sérvias sejam os maiores em anos contra Vucic e seu governo, organizados em resposta a dois tiroteios em massa no início deste mês que deixaram 18 mortos e 20 feridos, muitos dos quais crianças de uma escola primária.

Os críticos acusam Vucic e o seu partido de terem alimentado divisões na sociedade e limitado as liberdades democráticas durante os seus 11 anos no poder, o que o líder nega.

Vucic disse que o novo movimento nacional será formado em junho para incluir outros partidos, especialistas e indivíduos proeminentes e promover a unidade.

Analistas consideram que se trata de uma tentativa de se reagrupar após mais de uma década no poder e crescente pressão pública.

Durante o comício na sexta-feira, Vucic acusou a oposição de se aproveitar dos tiroteios em massa para fins políticos, mas ofereceu diálogo enquanto busca formas de aliviar a crescente pressão pública.

Os assassínios chocaram a nação, levando a apelos para mudanças no poder. Os manifestantes dizem que Vucic e seu Governo estão a criar uma atmosfera de violência com seu discurso de ódio contra opositores políticos e uma campanha de propaganda implacável nos media.

Os partidos da oposição comprometeram-se a continuar com as manifestações até que suas exigências sejam atendidas, o que inclui a expulsão do ministro do Interior e do chefe de secreta, e ainda a revogação de licenças de transmissão nacional para duas estações de TV pró-governo.

Vucic e seu partido levaram dezenas de milhares de pessoas para seu comício pró-governo na sexta-feira, anunciado como o “maior de todos os tempos” na Sérvia e realizado sob chuva torrencial.

Segundo a Associated Press, órgãos de comunicação sérvios avisaram que funcionários de empresas públicas em cidades menores foram informados de que deveriam comparecer ou perderiam seus empregos.