Destaque Moçambique descarta possibilidade da Total abandonar projecto de gás em Cabo Delgado

Moçambique descarta possibilidade da Total abandonar projecto de gás em Cabo Delgado

O Presidente da República descartou esta quinta-feira, 4 de Agosto, a possibilidade de a petrolífera Total abandonar a exploração de gás natural em Cabo Delgado, avançando que a companhia tem pressionado o Governo para a criação de condições de segurança para o reinício das actividades.

“Nós nunca chegámos a pensar que a Total pode não voltar e das conversas que tenho tido com presidente da empresa [Patrick Pouyanné] nunca se levantou essa possibilidade”, declarou Filipe Nyusi, durante a Reunião de Negócios da Agenda Africana da Comunidade dos Presidentes dos Conselhos de Administração e Directores Executivos, realizada esta quinta-feira em Maputo.

Segundo o chefe de Estado moçambicano, a petrolífera francesa tem estado a pressionar o Governo para que crie condições para o reinício das actividades da empresa, que tem estado, através de projectos comunitários, a apoiar os esforços das autoridades para que o problema da insurgência na região seja resolvido.

“A Total é que pressiona o Governo para que o Estado faça a sua parte, que é de devolver a tranquilidade e a segurança. A própria empresa tem estado a dar a sua contribuição para que a situação se estabilize, apoiando a juventude”, frisou o chefe de Estado moçambicano.

Embora descarte a possibilidade de a Total abandonar o projecto, Filipe Nyusi lembra que o gás não vai desaparecer no caso de a multinacional francesa decidir suspender em definitivo a operação.

“Nós não colocamos a hipótese de a Total não voltar, mas, caso isso aconteça, o gás está lá […] há quem possa explorar também. Não é um produto que desaparece. Mas nós não pensamos de forma negativa”, frisou Filipe Nyusi, acrescentando que, com apoio de forças estrangeiras, a situação do distrito de Palma é estável e o empresariado já pode regressar.

A TotalEnergies, cujo consórcio vai investir mais de 20 mil milhões de dólares na exploração de gás natural no Norte de Moçambique, suspendeu o desenvolvimento do projecto na região devido a um ataque rebelde em 2021, perto das infra-estruturas do empreendimento, no distrito de Palma, província de Cabo Delgado.

Previous articleDepois de sanções contra Pelosi, China interrompe diálogo militar com EUA e suspende cooperação climática
Next articleMaputo: Detito angolano com 38 cápsulas de cocaína