A Venezuela recebeu na quarta-feira um novo carregamento de ajuda humanitária da Cruz Vermelha, o primeiro de 2021, com 22 toneladas de material médico, para dar resposta à pandemia de covid-19 no país.

Em comunicado, a Cruz Vermelha Venezuelana (CVV) explicou que a ajuda humanitária inclui máquinas de ultrassom, óculos de proteção, ‘kits’ de limpeza hospitalar, dispensadores de gel antibacteriano, termómetros, leitores de dados de temperatura e sacos de lixo biológico.

Segundo o presidente da CVV, com este carregamento de material sanitário será possível “ampliar as operações na rede de hospitais e ambulatórios da Cruz Vermelha no país e garantir a segurança do pessoal sanitário e dos voluntários” que combatem a doença.

A nova ajuda destina-se a reforçar oito hospitais e 24 hospitais ou centros de saúde da Cruz Vermelha na Venezuela e a atender comunidades mais vulneráveis, através de jornadas de saúde gratuitas.

Segundo a CVV, a Venezuela recebeu, em 2020, 1.855 toneladas de ajuda humanitária internacional, através da Cruz Vermelha, que permitiram dar atenção local a 1,5 milhões de pessoas, em áreas como a saúde, higiene, migração e inclusão.

Desde o início da pandemia, a Venezuela contabilizou 127.752 casos de doentes com o novo coronavírus e 1.202 mortes provocadas pela doença.

O país está em quarentena preventiva desde março de 2020, aplicando atualmente um sistema conhecido localmente como “7+7”, que consiste em sete dias de estrito confinamento, seguidos por sete dias de flexibilização.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.253.813 mortos resultantes de mais de 103,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.