De acordo com o executivo, a corrupção lesou o Estado moçambicano em 5 mil milhões de Dólares entre 2002 e 2014. Um fenómeno cujo impacto levou o Presidente moçambicano a declarar combate cerrado contra agentes do Estado envolvidos neste tipo de crime.

Números impressionantes de um crime que ganha contornos alarmantes em Moçambique, envolvendo funcionários e agentes do Estado também ouvidos pelo Presidente da República que lançou um aviso.

“O combate a corrupção em Moçambique é um processo irreversível, em relação ao qual o Estado nunca poderá vergar, pois só assim irá garantir uma sociedade mais íntegra, guiada por princípios de transparência e responsabilização em todos os níveis”, declarou o chefe de Estado, no final de uma visita de um dia a província de Gaza, no sul de Moçambique e onde inaugurou diversas infra-estruturas sociais e lançou a iniciativa “um distrito, um tribunal”.