As igrejas católicas da Guiné-Bissau só vão reabrir as portas para fiéis depois de uma reunião da comissão da pastoral para avaliação de medidas de acompanhamento a serem adotadas, disse à Lusa fonte da hierarquia.

O Governo guineense autorizou que as igrejas, mesquitas e locais de cultos e rituais tradicionais reabram as portas aos fiéis, mediante um conjunto de medidas, nomeadamente o uso obrigatório e permanente de máscaras, a lavagem das mãos e a desinfeção daqueles recintos.

Várias mesquitas muçulmanas reabriram as portas e receberam os fiéis para a tradicional reza semanal da sexta-feira, mas as portas das igrejas católicas mantiveram-se fechadas.

As duas portas que dão acesso central à Sé Catedral de Bissau estão fechadas e no recinto não é visível nenhum fiel.

A Fonte da igreja católica disse à Lusa que, “por enquanto”, a única orientação dada aos sacerdotes é no sentido de aguardarem pela realização de uma reunião que congrega a comissão pastoral das igrejas guineenses para daí serem avaliadas medidas de acompanhamento que serão anunciadas aos fiéis.

A reunião da pastoral que trata de questões ligadas às celebrações eucarísticas ainda não tem data, notou a fonte mas admitindo que poderá ser “nos próximos dias”.

Dias antes de o Governo decretar a proibição da frequência de locais de aglomeração de pessoas, a 18 de março passado, a igreja católica guineense decidiu a suspensão de celebrações de missas, vias-sacras, retiros e encontros de grupos e movimentos de jovens, em todas as suas instalações.

As celebrações religiosas passaram a ser transmitidas em direto pela rádio Sol Mansi, que pertence à igreja que se lançou ainda campanhas de sensibilização aos ouvintes.

O bispo de Bissau, Camnaté Na Bissign ordenou ainda a que todo o parque hospitalar da igreja fosse colocado à disposição das autoridades para internamento e tratamento de doentes infetados pelo novo coronavirus.

As escolas ligadas à igreja catolica guineense, encerradas por ordens do Governo em março, devem retomar as aulas na segunda-feira.

A Guiné-Bissau registou até hoje um total acumulado de infeções por covid-19 de 1.842 pessoas, incluindo 26 vítimas mortais e 773 recuperados.