A pandemia de covid-19 poderá durar até à primavera do próximo ano, de acordo com um documento confidencial do Public Health England destinado aos mais altos funcionários do serviço nacional de saúde pública britânico. 

O jornal inglês The Guardian consultou o documento. A estimativa é impressionante: 7,9 milhões de pessoas hospitalizadas, quatro em cada cinco britânicos irá contrair a doença.

A notícia surge depois doconsultor científico do governo britânico, Patrick Vallance, ter defendido na sexta-feira que parte da população britânica deve ser infectada pelo novo coronavírus para que a sociedade seja “imunizada em grupo” contra surtos futuros. Centenas de cientistas insurgiram-se contra a medida.

O jornal diz que esta é a primeira vez que os especialistas do país admitem que o vírus circule por mais 12 meses, o que vai levar a uma pressão enorme num NHS já sobrecarregado.

O documento alerta para que os responsáveis de saúde estejam preparados para que até 80 por cento dos britânicos serem infectados com o coronavírus durante esse período.

Chris Whitty, professor e principal consultor médico do governo do Reino Unido, já tinha avançado esse número como o pior cenário e sugeriu que talvez o surto não venha a ser tão grave no país. No entanto, o documento insiste nesse ponto, que quatro em cada cinco britânicos irão mesmo contrair o vírus.

Não serão apenas os serviços de saúde a ficarem afectados pela dimensão e duração da pandemia, mas esta irá também afectar a polícia, os bombeiros e o sector dos transportes.

“Um ano é totalmente plausível. Mas esse número não é bem visto ou compreendido “, disse ao Guardian Paul Hunter, professor de medicina da Universidade de East Anglia e especialista em epidemiologia, que compreende o pânico da população ao ter conhecimento da previsão.

“Penso que [o vírus] vai cair no verão, no final de Junho, e voltar em Novembro, como acontece com a normal gripe sazonal. Não irá desaparecer, mas penso que se tornará menos grave com o tempo, à medida que a imunidade se instalar”, acrescentou o epidemiologista.

Cientistas urgem governo britânico a rever táctica. “Vai afectar milhões”

Centenas de cientistas pediram ao governo britânico que revisse a estratégia para combater o surto de covid-19, que poderá colocar em risco “milhares de vidas” sem necessidade, de acordo com uma carta aberta divulgada no domingo.

“Estamos profundamente preocupados com o calendário do plano proposto, que visa adiar ainda mais as medidas de distanciamento social. Os dados atuais sobre o número de infeções no Reino Unido estão alinhados com as curvas de crescimento observadas em outros países, incluindo Itália, Espanha, França e Alemanha. Os mesmos dados sugerem que o número de infetados será da ordem de dezenas de milhares dentro de alguns dias”, avisam.

Os cerca de 240 cientistas preveem que, sem medidas de controlo, o surto “afetará milhões de pessoas nas próximas semanas”, deixando o serviço nacional de saúde (NHS, sigla inglesa) sem capacidade para lidar com o fluxo de pacientes que necessitam de tratamento intensivo e equipamento ventilador.