Manchester City teve uma noite invulgar na Liga dos Campeões, em Milão, frente à Atalanta, ao terminar o jogo com o defesa-direito Keylor Navas depois da expulsão de Claudio Bravo, que tinha entrado ao intervalo a substituir o lesionado Ederson Moraes. Ainda assim conseguiu segurar o empate 1-1, que mantém a equipa na liderança do grupo C.

Tudo apontava para que fosse um jogo tranquilo para a equipa de Pep Guardiola, que contou com João Cancelo e Bernardo Silva como titulares, afinal Raheem Sterling abriu o marcador logo aos sete minutos. Contudo, o azar começou à beira do intervalo quando Gabriel Jesus falhou de forma escandalosa um penálti, com um remate que saiu bem ao lado da baliza defendida por Gollini.

Na segunda parte, já sem Ederson, o croata Mario Pasalic fez o empate para a Atalanta, que aos 81 minutos ficou em vantagem numérica em campo, quando Claudio Bravo saiu da baliza para tentar cortar a bola e derrubou Josip Ilicic, que seguia isolado. A expulsão do guarda-redes obrigou Guardiola a fazer entrar Kyle Walker para a baliza, substituindo Riyad Mahrez. Só que o livre saiu direitinho para as mãos do guarda-redes improvisado, que nunca mais foi incomodado no jogo, pois os jogadores do Manchester City seguraram a bola nos dez minutos que se jogaram.

No outro jogo do grupo também não faltaram incidentes. O Shakhtar Donetsk treinado por Luís Castro foi à Croácia empatar 3-3 como Dínamo Zagreb e até se colocou em vantagem com um golo do brasileiro Alan Patrick aos 13 minutos. Só que ainda antes do intervalo a equipa da casa empatou por Bruno Petkovic.

Os últimos 15 minutos foram de loucos com uma expulsão para cada lado e Ivanusec e Ademi a marcarem para o Dínamo aos 83 e 89 minutos. Quando os croatas pareciam ter garantido os três pontos, Júnior Moraes (90’+3) e Tetê (90’+8) na cobrança de um penálti acabaram por conseguir um empate milagroso. As duas equipas mantêm-se assim empatadas no segundo lugar com cinco pontos, quando faltam cumprir duas jornadas.

DN