David Villa, recordista de golos marcados pela selecção espanhola, anunciou ontem, o fim da carreira, aos 37 anos, durante a qual conquistou o Campeonato do Mundo, da Europa, Liga dos Campeões e Mundial de clubes.

David Villa, que se encontra ao serviço dos japoneses do Vissel Kobe, irá realizar o último jogo em 07 de Dezembro e colocar fim a uma carreira que o levou a representar oito clubes, entre os quais FC Barcelona, Atlético de Madrid e Valência, em quatro países, de quatro continentes.

“Quando acabar a presente temporada [no Japão], vou deixar a prática do futebol profissional e reformar-me”, disse, em conferência de imprensa, David Villa, considerando ser este o momento para deixar o futebol, antes que o futebol o deixe a ele.

O avançado espanhol, que irá abraçar um novo projecto no meio futebolístico, referiu que a decisão de encerrar a carreira de jogador foi “pensada e ponderada há muito tempo” e tomada na esfera familiar e com as pessoas mais próximas.

“Quero retirar-me do futebol, não ser obrigado a fazê-lo”, acrescentou o futebolista, que marcou 59 golos pela selecção espanhola, o que o torna no máximo goleador da ‘la roja’.

David Villa, que passou quatro anos nos New York City FC (2014-2018), irá investir no Queensboro FC, um clube com sede em Queens, em Nova Iorque, que disputa o equivalente à segunda divisão dos Estados Unidos.

“Apesar de não estar em campo, continuarei a envolver-me no futebol de outra maneira e a contribuir para o mundo do futebol”, afirmou.

O avançado espanhol participou em três Mundiais e ajudou a ‘la roja’ a chegar ao título em 2010, dois anos após a conquista do Europeu2008. Ausente, por lesão, do Europeu2012, falhou a renovação do título pela Espanha.

Ao nível de clubes, a carreira também é excepcional, tendo marcado na final da Liga dos Campeões, que conquistou pelo FC Barcelona, frente ao Manchester United (3-1).

Duas vezes com o FC Barcelona (2010/11 e 2012/13) e uma vez na sua única temporada no Atlético de Madrid (2013/14), David Villa conquistou o título espanhol, antes de se transferir para os New York City e disputar o campeonato de futebol dos Estados Unidos.

Bancada