O escrivão de direito do Tribunal Judicial da Cidade da Maxixe em Inhambane é acusado de liderar um esquema de desvio de pouco mais de 2.9 milhões de meticais dos cofres daquela instituição.

Trata-se de um esquema que entre 2017 e 2018, desviou dos cofres do Tribunal Judicial da Cidade da Maxixe pouco mais de 2.9 milhões de Meticais.

Segundo o director do Gabinete Provincial de Combate à Corrupção em Inhambane, o esquema era liderado pelo escrivão de direito naquele tribunal.

O esquema do foi despoletado por uma auditoria feita pelo Cofre dos Tribunais a nível central. O gabinete de combate à corrupção investigou e decidiu acusar o escrivão na autoria de quatro crimes e deverá responder em tribunal, uma vez que o processo já foi remetido ao tribunal para trâmites seguintes.

Segundo Sinai Lonzo, depois de despoletado o caso, o referido escrivão iniciou a reposição do dinheiro que desviou tendo devolvido cerca de 200 mil meticais.

Folha de Maputo