O Presidente do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Daviz Simango, voltou a lançar duras críticas quando a liderança de Felisberto Naífe como Director geral do STAE, sobretudo por causa dos resultados de recenseamento eleitoral de Gaza. Daviz Simango diz que mais do que demitir-se todo o staff do STAE devia ser levado a barra da justiça.

Daviz Simango está na Zambézia para medir o termómetro político. Na sua chegada este sábado voltou a tecer duras críticas ao STAE.

“Nos encontros passados pedi aos magistrados quer judiciais quer da procuradoria que investiguem esses casos, porque não podemos hipotecar aquilo que os moçambicanos procuram construir com muito sacrifício por causa de um punhado de pessoas”, disse Simango.

Na sexta-feira, a imprensa na Zambézia ouviu Felisberto Naífe sobre o posicionamento dos partidos da oposição em demitir-se das suas funções e respondeu nos seguintes termos.

“Minha posição é que eu sou um funcionário público, estou em comissão de serviço e estou a trabalhar em prol do processo eleitoral.

O País