O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) recenseou 5.895.901 (80,31%) potenciais eleitores, dos 7.341.739 eleitores que esperava abranger de 15 Abril a 30 de Maio passados.  

Os órgãos eleitorais esperam que 14.166.321 votem nas eleições gerais de 15 de Outubro. Desse número, 6.824.582 foram inscritos no recenseamento para as eleições autárquicas de 2018.

Entretanto, no registo recém-terminado, o STAE deixou 1.445.838 cidadãos de fora do processo, o que significa que não poderão votar no escrutínio que se avizinha. Mesmo assim, o director-geral daquela instituição, Felisberto Naife, disse que o órgão que dirige está satisfeito com os resultados alcançados.

“O que nós estamos a dizer é que fizemos o recenseamento e conseguimos alcançar o maior número possível de cidadãos, quase 90%. Naturalmente, alguns podem ficar de fora. No recenseamento que nós fizemos, as pessoas é que se dirigem aos postos e não vamos de casa em casa”, referiu Naife.

As províncias de Niassa, Maputo cidade e província são os pontos do país que menos eleitores registaram e tiveram uma realização de 284.824; 80.798 e 282.105 eleitores respectivamente, enquanto Gaza, Cabo Delgado e Zambézia superaram as metas previstas apesar da situação dos ciclones Idai e Keneth.

O recenseamento eleitoral foi também marcado por algumas irregularidades assumidas pelo STAE, de entre elas destacam-se os problemas logísticos verificados nos postos de recenseamento, a falta de inversores.

O País