Quatro cidadãos estão a contas com as autoridades policiais, acusados de clonar cartões bancários no Chimoio, e outros dois por alegada venda de soruma na cidade da Beira.

Na posse dos quatro indiciados, a Polícia da República de Moçambique (PRM) em confiscou 29 cartões de vários bancos.

Para lograrem os seus intentos, os visados faziam-se passar por pessoas honestas e ofereciam-se para ajudar a clientes com dificuldades de efectuarem transacções em caixas automáticas. Por vezes, durante a operação, eles retiravam dinheiros das contas das suas vítimas.

Segundo o porta-voz do Comando Provincial da PRM em Manica, Mateus Mindu, os presumíveis malfeitores foram surpreendidos no domingo passado quando pretendiam burlar mais gente. O grosso das vítimas são pensionistas e antigos combatentes.

Mateus Mindu contou que este não é o primeiro caso este ano. Aliás, os acusados trocaram supostamente tiros com a Polícia quando ensaiavam uma fuga.

Já na cidade da Beira, a PRM deteve outros dois indivíduos e em sua posse confiscou 40 quilogramas de cannabis sativa, vulgo soruma.

O porta-voz do Comando Provincial da PRM em Sofala, Daniel Macuácua, disse que a detenção dos dois cidadãos aconteceu quando eles pretendiam descarregar a droga para uma casa sita no bairro da Massamba.

Um dos implicados no caso é considerado reincidente no tráfico e venda de droga. Já esteve detido e beneficiava de liberdade condicional mediante pagamento de caução, de acordo com o agente da lei e ordem.

O País