Os colaboradores do Externato Ilundy, na cidade de Maputo reivindicam a falta de pagamento de salários, referentes a alguns meses de 2015 a esta parte. Ou seja, mais de 18 meses de salários em atraso.

O que mais inquieta aos grevistas é o facto de terem enviado cartas a direcção, mas esta nunca respondeu.

Ainda esta segunda-feira, uma equipa da Inspecção da Educação fez-se ao local para se inteirar da situação. Reuniu-se com a direcção da instituição, e a posterior limitou-se a dizer que está a trabalhar.

Depois da retirada da equipa de inspecção do local, a Direcção da Escola reconheceu, sem gravar entrevista, que a reivindicação dos funcionários é legítima e garantiu que na próxima sexta-feira haverá uma reunião com os queixosos para discutir as modalidades de pagamento. E esta terça-feira, as aulas voltam à normalidade.

O País