O Governo da Guatemala anunciou quarta-feira um plano de emergência que inclui a construção de mil casas para os afectados pelo Vulcão de Fogo, cuja erupção no início do mês provocou pelo menos 110 mortos.

O objectivo é “responder de maneira digna e com todos os elementos de segurança”, para que as famílias possam ter acesso a “serviços básicos” e perspectivas de “desenvolvimento social e económico”, declarou o Presidente Jimmy Morales, em conferência de imprensa.

De acordo com Morales, o projecto está a ser pensado para a Finca de la Industria, propriedade do Estado e localizado no departamento de Escuintla, um dos mais afectados. As medidas fazem parte do Plano Nacional de Resposta e Reconstrução, que pressupõe também mil abrigos temporários de transição. Os projectos propostos, incluindo a recuperação de infraestrutura e agricultura, serão superiores a 56,8 milhões de euros.

No total do complexo da área vulcânica existem 3.778 casas, onde se estimam que vivam mais de 110 mil pessoas, para as quais “vão procurar uma alternativa”, concluiu o Presidente. A erupção, registada no dia 3 de Junho, afectou, principalmente, os departamentos de Sacatepéquez, Escuintla e Chimaltenango. Até ao momento, as autoridades resgataram 110 cadáveres, estimam em 197 os desaparecidos e em mais de 1,7 milhões as pessoas afectadas.

Observador