24 cidadãos de nacionalidades estrangeiras foram suspensos da actividade laboral por exercerem as funções de professores ilegalmente no país.

A suspensão foi decretada por uma brigada da Inspecção-geral do Trabalho ao nível da cidade de Maputo que desencadeou uma acção inspectiva ao estabelecimento de ensino denominado Liceu Gustave Eiffel – Associação dos Pais de Alunos da Escola Francesa de Maputo, tendo apurado que 24 professores estavam a trabalhar sem a devida autorização.

A brigada constatou ainda que a Escola Francesa não dispõe de um regulamento interno, mapa de horário dos agentes de serviço e livro de registo de horas extras.

Entre os 24 professores suspensos, estão cidadãos de nacionalidade francesa, espanhola, britânica, sul-africana e portuguesa, que violaram o Regulamento Relativo aos Mecanismos e Procedimento de Contratação de cidadãos de nacionalidade estrangeira.

O País