Mais de 100 membros da Associação dos Profissionais Desempregados Metalomecânicos juntaram-se em frente ao Ministério do Trabalho, em Maputo, para reivindicar a usurpação de vagas nos megaprojetos por parte de cidadãos estrangeiros.

Os membros da Associação entendem que estão a ser injustiçados, disse um dos manifestantes, Luís Chau.

O inspector-geral do Trabalho, Joaquim Siúta, viu-se obrigado a reunir com o grupo de manifestantes, num encontro que decorreu à porta-fechada e que durou cerca de cinco horas. O consenso encontrado foi de criar uma comissão conjunta entre o grupo de desempregados e a inspecção-geral do Trabalho, de modo a monitorar os critérios de selecção dos candidatos a vagas nos mega-projectos.

Entretanto, o presidente da Associação dos Profissionais Desempregados Metalomecânicos, David André, diz que só ficará satisfeito depois de os pontos discutidos forem colocados em prática.

Refira-se que esta não é a primeira vez que esta associação manifesta-se em frente ao Ministério do Trabalho, reivindicando usurpação de emprego por estrangeiros.

O País