Foi a 2 de Outubro passado que as autoridades inspectivas das actividades económicas encerraram as portas da processadora de carnes Bonsuino, que se localiza na província de Maputo, por falta de observância das regras elementares de higiene, para além de condições deploráveis de processamento e conservação de carnes e seus derivados.

Volvidos pouco mais de dois meses, a firma já apresenta uma nova imagem, o que permitiu a reabertura do empreendimento pela INAE, esta segunda-feira. “Todas as recomendações que ditaram o encerramento desta firma forma cuidadosamente observadas pelo agente económico e nós fizemos o acompanhamento. A partir de agora, acreditamos que tudo volta a funcionar correctamente. Por isso mesmo, nós já deixámos a credencial de confirmação da reabertura”, disse o delegado provincial da INAE no município da Matola, Rodrigues Churi.
O delegado disse, entretanto, que detectou algumas anomalias na conclusão da reabilitação no sector de salgamentos, tendo recomendado a sua rectificação num prazo de mais um mês. Os outros sectores estão em condições de iniciar as actividades.

Apesar da pausa de mais de dois meses, a gerência diz que o problema não afectou os trabalhadores, pois foram cumpridas todas as obrigações contratuais. Mas apontou que os maiores prejudicados foram os criadores que fornecem os animais para o abate. “Felizmente, apesar destes dois meses termos estado encerrados, não tivemos problemas com os nossos trabalhadores. Não os diminuímos, muito menos faltamos com o pagamento dos salários, pelo que estamos com o mesmo número de trabalhadores e vamos continuar com eles”, disse Joaquim Coelho, o gerente da firma.

Temos a lamentar (a situação) dos nossos fornecedores dos animais, porque durante estes dois meses não tínhamos como adquirir os animais para o abate”, salientou, para depois agradecer pelas instruções e o acompanhamento da INAE aquando ao encerramento até à reabertura desta segunda-feira.

Foi muito esforço empreendido para pôr em prática as recomendações da INAE e o resultado é mesmo este de termos já a permissão para continuarmos com as nossas actividades, para responder às necessidades dos nossos clientes, que a partir desta semana já podem adquirir novamente os nossos produtos”, concluiu Coelho.

Refira-se que muitos supermercados e restaurantes da província e cidade de Maputo são abastecidos pela Bonsuino, agora, com uma nova imagem.

O País